Todos somos Inovadores

Todos somos inovadores porque já não há outra forma de não o ser.

Uma das dificuldades de perspectivar o futuro é que tendemos a fazê-lo como uma extensão do passado – é mais fácil e logo mais tentador pensar que o futuro será um prolongamento com mais ou menos ajustes do passado. Uma das razões está certamente ligada à forma como o nosso cérbero funciona. Os avanços da neurociência em conjunto com a psicologia (ver “The Brain and Emotional Intelligence: New Insights” – e “Think Fast, think slow”  ) têm mostrada de forma clara que o nosso cérbero funciona de forma associativa – tenta encaixar tudo o que “vê” em conceitos já preexistentes. O sistema analítico e racional capaz de uma análise mais fria e dedutiva consome energia e tempo, logo como perspectivar um futuro diferente requer esforço consciente e tempo – duas coisas que são difíceis nos tempos que correm – preferimos usar a nossa rapida capacidade associativa e imaginar continuidades. Aliás por isso mesmo é que ditos intelectuais e académicos cuja sua função é estudar, analisar, questionar – ou seja que fazem deliberadamente esse esforço – conseguem por vezes iluminar-nos com novas conclusões e insights que o nosso dia a dia de acção-reacção não nos permite.

Mas se o mundo recente tem sido abalado por mudanças e crises tão profundas como – o fim da guerra fria, o crescimento e abertura da china, o desenvolvimento dos BRIC, o avanço do terrorismo, a maior crise financeira dos últimos 100 anos, o crescimento do desemprego, o crescimento da Internet e a digitalização, a demografia… – como podemos esperar que o mundo não mude? como podemos pensar que tudo vai ser corrigido, ajustado, melhorado? Cada vez mais assistimos a mais e mais pessoas não extremistas a questionar o Capitalismo, os mercados financeiros, as multinacionais, o sistema político – estas discussões que antes se confinavam aos cafés e em que tinham como base o que as pessoas liam nos livros e jornais disponíveis revolucionou-se para discussões abertas nas redes sociais, alimentadas por fontes de todo o mundo e acesso nunca antes visto a informação e opinião. Num contexto das sociedades ocidentais de liberdade de opinião e acesso a informação (genericamente), todos podem formar e espalhar a sua opinião, saber mais sobre determinado assunto ou discutir com pessoas de todo o mundo nas redes sociais, nos blogs e fóruns.
Ok, nada disto é novo e todos temos consciência disso – mas e então?

Olhamos à volta e ainda não incorporámos plenamente o conceito de “Knowledge worker” – – e “knowledge Economy“- embora Peter Drucker os tenha cunhado em 1959 e 1966!

Ainda organizamos empresas à volta da eficiência e de processos tayloristas – claro que a organização e os processos são criticos para ter uma empresa funcional, equilibrada e sustentável – mas continuamos a confundir os meios com os fins, e as condições necessárias mas não suficientes. Ter uma empresa organizada até certo ponto é necessário para que não se gastem recursos a corrigir ou a re-inventar processos padrão. Um dos restícios desse modo de funcionamento são as funções, os departamentos e as hierarquias – todas as empresas continuam a organizar-se à volta destes vectores que não só cristalizam o que se espera das pessoas como criam barreiras à comunicação. Ora, se para uma organização ser criativa e inovadora é preciso que haja fluxo de informação e conhecimento, colaboração, flexibilidade, agilidade – nada disto rima com funções, departamentos e hierarquias.
Uma das soluções é as empresas criarem equipas de projecto multidisciplinares e com mandato para inovarem – o seu funcionamento e resultados podem ser positivos mas ao assumir como uma excepção à regra as empresas sinalizam que a inovação é uma excepção só para alguns e só para alguns momentos.

Num mundo em permanente mudança – inovar não é algo que se planeia, mas algo que tem que acontecer a cada momento, é uma atitude, um traço da cultura da empresa.

Advertisements

About Hugo

Consultant, Trainer, Facilitator and Mentor. I discover and develop market opportunities using my experience and knowledge of marketing, digital business, product development and strategy and leveraging on my leadership and team management skills. I have a broad experience in creating new products, new business ventures and knowledge of many different areas such as sales, legal, finance, IT and HR to be able to turn ideas into solid results.
This entry was posted in Inn.ovation and tagged , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s